Quando a placenta vira história:

Depois de cumprir sua função durante nove meses, a placenta é naturalmente expulsa do corpo pelas contrações no parto normal em uma materia das Mãe d`águas: A placenta no Sudão, a é considerada o “segundo espírito” da criança e pode ser enterrado num local que represente as expectativas que os pais tem em relação ao filho. Na Malásia a placenta é vista como o “irmão mais velho” do bebê e acreditam que ambos se reencontrarão após a morte. Para cuidar dela a parteira lava-a cuidadosamente e envolve-a num tecido branco para posteriormente ser enterrada.Para cada cultura ela tem um significado. O ONU determina que “as instituições de saúde devem preservar o direito das mulheres a parir em instituições, de decidir sobre a sua roupa e o bebé, sobre a alimentação, o destino da placenta, e outras práticas culturalmente significantes”. Então para você que que pariu no hospital também tem direito de decidir o que quer fazer com a sua placenta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Dúvidas?